terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Cinema - "Biutiful"



Javier Barden parece se reinventar em cada filme que protagoniza; sem dúvida nenhuma, pode-se considerá-lo um dos maiores atores de língua espanhola de todos os tempos. Os prêmios que vem acumulando ao longo de mais de 20 anos de carreira atestam essa afirmação. "Biutiful" é o feliz encontro do ator com Alejandro Gonzáles Iñarritu, um dos mais renomados diretores mexicanos das últimas décadas; filmes como "Amores perros", "21 gramos" e "Babel" constam em qualquer lista das melhores películas realizadas nesse início de século.
"Biutiful" é um drama mergulhado na crítica realidade européia surpreendida pela crise financeira de 2008; desemprego, drogas, emigrantes ilegais e miséria moral e econômica desfilam pelas duas horas e dez de projeção.
A Barcelona que Iñarritu nos oferece é a extrema oposta da qual Woody Allen nos apresentou em "Vicky Cristina Barcelona". Se o cineasta americano buscou locações em cartões postais, o mexicano preferiu o Clot, bairro cêntrico mas rodeado de pobreza e deselação. O filme já seria trágico sem o drama pessoal do personagem de Javier Barden: chineses que trabalham como escravos, senegaleses nas filas de deportação e famílias desestruturadas pela miséria e a adição.
Não é recomedável ver o filme num domigo à noite - corre-se o risco de começar a semana "pra baixo", diante de tanto infortúnio. Mas recomendo para todos os dias seguintes e também todas as outras obras de Alejandro Gonzáles Iñarritu.

4 comentários:

  1. O que mais gostei foi "amores perros". Javier Bardem é, na minha opinião, o melhor ator contemporâneo do cinema internacional, junto com Philip Seymour Hoffman.

    Adorei o blog!

    Um abraço,

    Rachel (nova colega de trabalho)

    ResponderExcluir
  2. Concordo com você querida!!"Amores perros" segue como minha obra referencial da cinematografia do Iñarritu!!

    ResponderExcluir
  3. Adoro "Amores Perros". Mas realmente "Biutiful" me tocou profundamente. A beleza e a sensibilidade com a qual ele aborda temas tão fortes e tão reais ao redor do mundo são tocantes.
    Inevitáveis as lágrimas e a sensação de um bom filme!
    E para mim, em particular, a emoção e a esperança de que essa vida é só o começo de muito mais! Que venham, no momento certo, os bons reencontros!

    Parabéns pelo Blog : )

    ResponderExcluir