segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Cotidiano - "A morte de Brian Jones, 40 anos depois".


Ele foi o líder e fundador da maior banda de rock and roll de todos tempos. No início dos anos 60, a imagem de um grupo chamado The Rolling Stones, correspondia ao carisma e ao talento de Brian Jones. Sua morte - ocorrida no dia 3 de junho de 1969 - ainda está rodeada de mistérios: oficialmente Brian morreu afogado na piscina de sua mansão em Cotchford Farm, em Sussex. O inquérito policial concluiu que o guitarrista sofreu uma morte acidental já que era asmático e resolveu nadar à noite - algo nada recomendável para pessoas com essa enfermidade. Pesava o fato de que Brian era para época o que Amy Winehouse representa hoje aos diários sensacionalistas britânicos: um viciado com alguns milhões de dólares. O caso é que 40 anos depois, a polícia local resolveu reabrir o inquérito. Duas testemunhas que se encontravam na casa da vítima na noite de sua morte, revelaram que Brian e um dos seus empregados - Frank Thorogood - haviam discutido: ambos estavam dentro da piscina e o músico foi visto inconsciente logo depois. A versão oficial da morte do guitarrista dos Rolling Stones nunca convenceu a opinião pública. Estava claro que para a conservadora sociedade Inglesa - assustada com as trangressões dos jovens dos anos 60 - era conveniente atribuir a morte de Brian ao abuso de drogas. O problema era que o laudo da necropsia apontou que o músico havia consumido apenas 3 copos de cerveja. A relutância da polícia de Sussex em reabrir o inquérito demorou 40 anos. O principal suspeito, Frank Thorogood, morreu em 94 sem se pronunciar sobre o caso. A retomada da investigação se deve ao trabalho do jornalista Scott Jones; há mais de 4 anos que Scott pesquisa todos os detalhes envolvendo a trágica noite de 3 de julho de 1969. O jornal "The Mail on sunday" comprou a briga e nesse momento a polícia de Sussex destacou um agente para revisar as 600 páginas documentadas pelo jornalista.
Esse blog opina que Brian foi assassinado e seu assassino está morto. Sua reputação como um grande músico ficará para sempre. O que pensa a sociedade britânica sobre ele, é passado.

2 comentários:

  1. Perspicáz notícia, grande foto da casa, excelente texto e um comentário ousado, porém escorregadio.

    Revela logo aí que matou, ôôô discipulo de Dashiell Hammet!

    ResponderExcluir
  2. Foi o caseiro Frank Thorogood!Falecido em 94.

    ResponderExcluir